Dia da Consciência Negra. Um Papo para Brancos!

Faz muito tempo que queria abordar esse assunto, mas por ser tão polêmico e com medo de como as pessoas iriam me interpretar eu acabei adiando e adiando mais um pouco. Até que finalmente me senti segura a ponto de postar sobre ele. Eu ia fazer um vídeo, mas depois de tanta pesquisa, e de tanto conversar com pessoas e escutar as suas histórias, eu acumulei anotações e mais anotações nos blocos de notas do meu celular. Então fiz um vídeo só de introdução, mas preferi editar um texto bem completo para ajudar outros brancos também descobrirem o que eu descobri.


inclusive a pessoa que mais contribuiu muito para a minha desconstrução foi uma amiga que mora aqui nos Estados Unidos e que conta no canal dela do YouTube e no IG (clique para conferir), a Inês, ela posta em suas redes a incrível cidade de Nova Iorque pelo olhar de uma mulher preta e latina.





Eu, uma mulher branca, vim falar com vcs, brancos, sobre racismo.



É um privilégio aprender sobre o racismo ao invés de sofrer na pele

Posso falar sobre o racismo sendo uma pessoa branca? Essa foi a pergunta que mais de assombrou enquanto eu pesquisava sobre o assunto e descobri que, sim, eu posso, tão longo quanto, eu fale do meu lugar e reconheça que o que eu carrego na minha bagagem é diferente do que uma pessoa negra carrega na bagagem dela. Depois de me informar e conversar com muitas pessoas eu também descobri que o racismo foi criado pelos brancos, eu, quanto pessoa branca reproduzo o racismo mesmo sem nem perceber, portanto, quero ajudar a acabar com esse preconceito porque esse problema é meu e eu não me orgulho disso.


Privilégios


Vou começar esse texto deslindando uma coisa: Ser privilegiado não significa que a sua vida é maravilhosa, um mar de rosas, que vc é rico, saudável, lindo e sarado. Beleza? Vc pode ser privilegiado mesmo se tiver crescido na Cohab , estudado em escola pública, ser pobre e ter que trabalhar pra pagar os boletos, essa sou eu!


Vcs sabem que tem certos grupos que sofrem discriminação, certo? Quais são eles? Os negros, os LGBTQ+ --- quem da mais? --- As mulheres, tem mais... deficientes físicos, gordos ... e por aí vai. Nossa sociedade é majoritariamente dominada por homens brancos e héteros, portanto, todo o resto é considerado inferior a eles e consequentemente, tem menos espaço e oportunidades.


Vale lembrar que tem grupos que sofrem mais que outros, por exemplo, uma mulher negra sofre preconceito e discriminação muito mais que eu, uma mulher branca.


De onde surgiu o racismo e porque o racismo é reproduzido até hoje é uma história bem longa, que para entender vc vai precisar fazer algumas pesquisas depois de ler esse texto. A minha intenção aqui é discutir brevemente o tema pois o que eu quero é instigar o pensamento de pessoas brancas e não falar verdades absolutas sobre o racismo --- até porque eu sou branca, não carrego o fardo e tenho muito o que aprender ainda.


Vc que é branco, tem a consciência que apesar de ter que pagar um boleto, que seu cartão de crédito pode estar estourado, vc nunca foi confundido com um bandido? Eu também tenho certeza que, um segurança de loja nunca te seguiu achando que vc ia roubar. Vc já reparou que muitos lugares que vc vai, por exemplo, escolas particulares, universidades, eventos, restaurantes, tem poucos ou nenhum negro? Já compararam seu cabelo com cabelos púbicos? Porque será que ter a pele escura, cabelo afro ou nariz arredondado, são características ruins? Porque chamam cabelo afro de cabelo ruim? O cabelo fez alguma coisa de mal pra alguém pra chamarem ele de ruim? Já parou pra pensar que nós, brancos, não passamos por essas situações que eu citei?


Então, se vc faz parte de um grupo que não está em desvantagem por ser o que vc é, então vc é um privilegiado, sim.


Não é ruim ser privilegiado, o ruim é não reconhecer isso e achar que todos nós estamos no mesmo barco e repercutir aquele velho discurso “Somos todos iguais”. Antes de dizer que é mimimi, pense na história por trás do racismo. Não estariam os negros em desvantagem por tudo que os seus ancestrais passaram?


Vamos imaginar a seguinte situação:


Um grupo de pessoas negras e um grupo de pessoas brancas. Enquanto os brancos trabalham, estudam, votam, constroem suas riquezas e crescem, o grupo de pessoas negras passam suas vidas servindo o grupo de pessoas brancas. Agora imagine que passaram-se 400 anos nesse esquema... famílias foram formadas, crianças nasceram e agora assinaram uma lei que diz que os negros não precisam mais servir os brancos. Agora eles estão livres para seguirem com suas vidas.


Então enquanto os brancos construíram suas riquezas e passaram de geração pra geração por longos 400 anos, os negros terão que começar do zero, sem dinheiro, sem educação, sem riquezas, sem base, sem absolutamente nada.


Então, essa situação foi real e todos os negros que vc conhece tem ancestrais que serviram os seus ancestrais.


E como se não bastasse, mesmo depois da Lei Áurea de 1888 --- e inclusive o Brasil foi o último país independente da América Latina e do Ocidente a abolir completamente a escravidão --- os brancos criaram leis que dificultavam e impediam que os negros convivessem decentemente em sociedade. Como, por exemplo, a Lei n. 1, de 1837, e o Decreto nº 15, de 1839, Rio de Janeiro com efeito em todo o Brasil, que diz “estão proibidos de frequentar as escolas públicas, escravos, e os pretos Africanos, ainda que sejam livres ou libertos" .





De onde eu tirei essa tem mais --- e aqui vai uma recomendação de vídeo para vc assistir --- O vídeo do AD Júnior fala da cronologia do racismo no Brasil, ele fala sobre como ao longo dos anos os negros foram prejudicados por causa de leis criadas para cada vez mais deixa-los para trás mesmo depois de serem libertados.


E como eu já falei em um vídeo meu no IG sobre diversidade, os Racionais MCs falam na música Negro Drama


"Você deve tá pensando, O que você tem a ver com isso?"


Nós brancos estamos anos luz a frente em direitos, riquezas, história, escolarização, educação que os negros porque enquanto nossos ancestrais construíram tudo o que nós herdamos, os ancestrais dos negros estavam sendo privados de construírem o futuro deles. O que resultou hoje em gerações e gerações de negros sem oportunidades. E daí vem um branco e diz “ah preto não consegue ser alguém na vida porque não se esforça”


Vc acha essa afirmação realmente justa?

Vamos agora fazer um exercício: quando vc vai a um lugar, vamos dizer, chique, quantos negros vc vê? Quando vc vai a uma universidade, quantos negros vc vê? Quantos médicos negros? Quantos ocupando cargos de liderança em empresas ou no governo? Quantos na televisão, nas revistas e nos outdoors (que não estejam fazendo papel de empregada ou motorista)? Isso não é porque "eles não se esforçam", é porque eles são sabotados, excluídos, esquecidos, boicotados, mesmo antes de tentarem.


Agora que vc já entendeu que, uma pessoa negra tem muito menos oportunidade do que uma pessoa branca por isso vc tem privilégios brancos, vamos destrinchar uma outra camada do racismo que, nós brancos, precisamos entender: racismo inverso não existe!



Racismo inverso



Porque vc não deve falar que uma pessoa negra está sendo racista contra vc que é branco?





No texto da Joacine Katar Moreira no site da Folha, ela diz "Acreditar no racismo dos oprimidos para com os opressores exigiria que entrássemos numa máquina do tempo que revertesse a História"


É uma falácia dizer que um preto pode estar sendo racista contra um branco chamando ele de "palmito", ou sendo racista contra um asiático mandando ele abrir o olho. Vc acha que um japonês já perdeu uma oportunidade de emprego porque o olho dele é puxado? Ou que uma pessoa branca foi perseguida pela polícia ou parada por um segurança em uma loja porque pensou “vou parar essa perna de palmito, deve estar roubando” ?


Por séculos os negros foram "comparados, tratado e marcado como animal doméstico, de carga e de serviço, retirando-lhe toda e qualquer dignidade e submetendo-os às mais brutais violências e, com o tráfico negreiro, sujeito a uma desumanização de difícil equiparação na História mundial." --- Joacinee Katar Moreira


Como é que vc que não é negro e não passou por nenhuma dessas situações desumanas, pode dizer que sofre racismo?


O comediante Aamer Rahman explicou de uma forma bem engraçada e sarcástica porque o racismo inverso não existe. Confira clicando aqui.



E uma terceira camada que eu quero mencionar é: Racismo Estrutural



O que é esse tal de racismo estrutural que é tão falado?


Em uma explicação rápida e simples, o racismo estrutural, assim como o machismo, é todo ato que prejudica um negro partindo do racismo que está enraizado e normalizado na nossa cultura. Então quando negros exercem apenas posições de cargos de níveis baixos é uma consequência dos 400 anos que seus ancestrais foram privados de construir um futuro melhor para seus contemporâneos.


Quando achamos traços negroides feios e traços europeus bonitos, quando vemos um negro no supermercado e vamos pedir informação de qual corredor está o arroz presumindo que ele trabalha lá, quando falamos que uma moça negra é exótica mas não falamos que é linda, quando a imagem que criaram de Jesus Cristo é branca, quando a cor preta representa coisas negativas --- eu poderia continuar essa lista por mais dez parágrafos --- tudo isso está nas estruturas que construíram a nossa sociedade, e enquanto essas estruturas não forem quebradas e reconstruídas, o racismo ainda perdurará por muitos anos.


E para concluir esse texto: O que faço eu, que sou branca, para ser antirracista?


E a resposta é "ter empatia" Mas o que significa essa palavra? Vamos conferir a definição do dicionário:


empatia


substantivo feminino

1. faculdade de compreender emocionalmente um objeto (um quadro, p.ex.).

2. capacidade de projetar a personalidade de alguém num objeto, de forma que este pareça como que impregnado dela.



Difícil de entender só lendo a definição da palavra no dicionário. Ter empatia não é simplesmente acordar um dia e dizer "a partir de hoje terei empatia". Então para entender melhor e para vc terminar esse texto sobre racismo escrito por uma mulher branca, pensando "Poxa, vou começar a minha jornada antirracista" vou deixar um trecho de uma fala da filósofa e jornalista Djamila Ribeiro que falou no programa Roda Vida o seguinte:


"A empatia é uma construção intelectual. É necessário ler sobre esses temas, é necessário se incomodar, é necessário desconstruir uma série de construções racistas e isso é um processo que obviamente as pessoas vão se pegar reproduzindo porque foram ensinadas assim... mas é um trabalho para a vida inteira. Esse é um entendimento que muitas vezes falta, dessa construção intelectual que vai orientar essa prática antirracista e que vai de fato levar uma consciência sobre esse tema" Clique aqui para assistir o vídeo.


Bom, termino por aqui com algumas indicações de séries, documentários, canais no YouTube, e Instagrams, que me ajudaram a desconstruir a estrutura do racismo que existia dentro de mim sem ser convidado, que provavelmente ainda tem resquícios, mas que pouco a pouco irei eliminando de vez. Aproveitem as dicas e se desconstruam assim como eu fiz ;)



Séries e Documentários Netflix:


👉 13o Emenda: Esse documentário me ajudou entender de fato o que é o racismo estrutural. Ele mostra de uma forma cronológica como o preconceito se instalou na nossa sociedade (com foco nos EUA claro, mas por ai já da pra entender como funcionou no Brasil também).


👉 Um crime Americano: uma mulher branca que perde o filho em um assassinado e com o desenrolar dos fatos ela descobre que é extremamente racista. Uma representação da realidade da sociedade racista americana.


👉 Olhos que Condenam: Caso real ocorrido no Central Park sobre os meninos negros que foram acusados e condenados por um crime que não cometeram.


👉 Time: The Kalief Browder Story: Menino negro que foi preso injustamente, saiu da cadeia e cometeu suicídio.


Filmes:


👉 A outra história americana: homem branco que faz parte de um grupo de supremacia branca é preso e faz amizade com um detento negro.


👉 US: uma família que invade a casa de outra para assassina-los. Reflete os efeitos da marginalização da população preta.


Canais no YouTube:


AD Júnior

Tô de Cacho

Nátaly Neri

Inês Ferreira

É isso aí galera! Espero que vcs tenham gostado e tenham aprendido algo assim como eu aprendi e abri a mente. Logue com a sua conta do Facebook e deixe seu comentário abaixo ❤️



© 2023 por NÔMADE NA ESTRADA. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round